Temporada Cósmica

A pintura é transcendente quando uma força maior nos invade e  nos conecta ao divino. Alegria, desapego, bem aventurança... A luz se irradia na tela da existência. Nestes momentos sinto o cosmo mais real do que a própria vida que, de tão conturbada, às vezes parece estar desconectada do divino. Mas ali, entregue, o caminho da verdadeira comunhão é revelado e está além da vida. Ainda assim questionamos, acreditando que, assim como a arte cria fantasias, estamos embarcando nos mares da ilusão. Mas escolhemos a arte como profissão e embora busquemos nos reinventar a cada momento, dispor-se à criatividade tornou-se um ofício. Um ofício que se desgasta quando não é compartilhado em sua completude. Buscamos novos caminhos movidos pelo sentido da incerteza. Astrologia, reiki, yoga, meditação...
Novamente a conexão acontece. brincando de artista estávamos diante do branco, seja no papel, na tela, ou na mente. Nada por fazer eis que surge a expectativa da luz que em outro momento surgiu inesperadamente.
Assim se sucede a experiência. Muitas vezes, subitamente. Músicas, poemas, pinturas em uma harmonia oculta, recriando a fé que outrora havia sido substituída pelas dúvidas e questionamentos da buscadora que, finalmente, assume que encontrou o que queria.

Conectar-se é simplesmente uma vivência, quando nos preparamos, aguardamos e registramos a onda que nos envolve. A comunhão se sucede quando, humilde reconhecemos que esta é a força cósmica, a divindade em nossas vidas.
Perceber que esse movimento pode transformar vidas é o que nos propomos ao falar em ARTE DIVINA DA CURA"
Poderia te convidar para sermos crianças aprendermos novas atitudes diante da ausência da pessoa querida, das nossas expectativas não alcançadas, das desilusões que nos imobiliza, mas o apego às ideias preconcebidas impedem de ver aquilo que os sábios diziam:
2E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. 3E disse: “Com toda a certeza vos afirmo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus. 4Portanto, todo aquele que se tornar humilde, como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus. …  
Reconheço que o divino cria por nossas mãos, dá sentido a vida que em nada se realiza se não houver o compartilhar. Não é um fruto que tenho a lhe oferecer nesta arte, mas a árvore do divino que tudo cria com sabedoria e faz seus instrumentos de alegria e renovação.
Encontrar dentro de si a criança esquecida, aquela que se escondeu da vida por ter sido ferida, acalenta-la, oferecer formas de expressar-se, esta é a Arte Divina da Cura.
E não me venha com superstições pois estas nos fazem instrumentos dos dominadores do passado que diziam que Deus estava apenas nas suas mãos e não das mulheres, e não dos humildes que só podiam contar com o amor divino para iluminar suas vidas.
Na Arte Divina da Cura nós criamos o futuro, plantamos sementes de amor e beleza. Não estamos à merce da culpa de erros do passado, mas nos tornamos humildes para nos reconhecer criadores das nossas vidas e responsáveis pelo amor que nela semeamos. Compartilhar é a chave da bem aventurança.
Estou assim, convidando a todos para verem esta arte que brotou em meu coração. talvez haja em seu coração uma semente que só precisa estar junta para florescer e formarmos um jardim capaz de deixar este mundo um pouco mais colorido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário