Compaixão


Vejo como a maior causa do sofrimento humano a sua desconexão da nossa essência divina, da mente universal, ou não mente como fala Osho. Deveríamos ser educados para compreender os ciclos de vida e morte, de ação e reação, compreender o sentido de unidade, de consciência universal. Isso deveria ser fundamento para o crescimento e realização humana. No entanto, estruturamos nossas mentes nos preceitos da competição, da comparação, o que estrutura um ego com a finalidade de dominar, possuir e mascarar a realidade. Daí surgem falsos sacerdotes, políticos, pais ignorantes, admirados pela sua capacidade de dominar mentes e usa-las em beneficio pessoal . Nos libertar destas armadilhas e ser luz, é também libertar indivíduos, seres divinos, para realizarem seus potenciais, isso é um ato de compaixão, E esse é o sentimento é a essência da Arte Oceânica que reflete a luz da consciência da unidade. De Deus em nós. 


Compaixão (do latim compassione) pode ser descrito como uma compreensão do estado emocional de outrem; não deve ser confundida com empatia. A compaixão freqüentemente combina-se a um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outro ser senciente, bem como demonstrar especial gentileza com aqueles que sofrem. A compaixão pode levar alguém a sentir empatia pelo outro. A compaixão é frequentemente caracterizada através de ações, na qual uma pessoa agindo com espírito de compaixão busca ajudar aqueles pelos quais se compadece.A compaixão diferencia-se de outras formas de comportamento prestativo humano no sentido de que seu foco primário é o alívio da dor e do sofrimento alheios.[1] Atos de caridade que busquem principalmente conceder benefícios em vez de aliviar a dor e o sofrimento existentes, são mais corretamente classificados como atos de altruísmo, embora, neste sentido, a compaixão possa ser vista como um subconjunto do altruísmo, sendo definida como o tipo de comportamento que busca beneficiar os outros minorando o sofrimento deles.fonte: Wikipédia


Nenhum comentário:

Postar um comentário